Go to Top

Cidades do interior vão receber apoio para exportar

Plano Nacional da Cultura Exportadora e Brasil Mais Produtivo serão regionalizados

Brasília (27 de janeiro) – O ministro Marcos Pereira anunciou nesta sexta-feira, em Taubaté (SP), durante encontro com prefeitos na 1ª Reunião Ordinária do Consórcio de Desenvolvimento Integrado do Vale do Paraíba, Litoral Norte e Mantiqueira (CODIVAP), que empresas de cidades do interior receberão apoio do MDIC para exportar.

“Estive em 13 estados lançando os programas Brasil Mais Produtivo e Plano Nacional da Cultura Exportadora. O primeiro busca melhorar a produtividade das empresas em pelo menos 20% – mas há casos de até 80% de ganho de eficiência – enquanto o segundo ensina empresas a exportar. Vamos regionalizar a execução destes dois programas e o projeto piloto será em São Paulo”, disse o ministro.

“Até hoje o foco era em nível estadual, com lançamentos feitos apenas nas capitais, mas percebi que empresas do interior, muitas vezes distantes dos grandes centros, também podem e devem ser contempladas”, afirmou Marcos Pereira.

Segundo o ministro, a regionalização dos programas Brasil Mais Produtivo e Plano Nacional da Cultura Exportadora faz parte do esforço de reposicionar a política comercial brasileira. 

“Temos nos esforçado para colocar o Brasil novamente na dianteira dos grandes acordos internacionais. Estamos avançando na construção de acordos comerciais, como por exemplo entre o Mercosul e a União Europeia”, explicou. “Estamos trabalhando para que o Brasil, sendo a 9ª economia, deixe de ser apenas a 25ª em comércio exterior”, completou.

Reformas

Aos mais de 30 prefeitos, vereadores, deputados federais e estaduais presentes, Marcos Pereira falou sobre as reformas e medidas econômicas e implementadas pelo governo federal e as ações de simplificação administrativa e desburocratização lançadas pelo MDIC.

“É em momentos de dificuldade como este que aproveitamos para fazer uma avaliação de tudo, ver o que funciona e o que não funciona, redirecionar o foco e atacar os problemas mais urgentes. Essa é a regra hoje no governo federal. Tenho me dedicado ao máximo junto com a competente equipe do MDIC para contribuir com reformas permanentes”, afirmou.

O ministro disse ainda que está empenhado em resolver problemas antigos, como a demora na concessão de marcas e patentes. “Desde julho do ano passado já convocamos 140 aprovados no último concurso do Instituto Nacional da Propriedade Industrial. As contratações são fundamentais para aumentar a performance do INPI com o objetivo de elevar o serviço aos padrões internacionais”, concluiu.

Compartilhe:Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInEmail this to someone

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *